Funcultura: carta de desespero

Querido Funcultura,

Nunca mais te vi, ando com saudades!! Por onde andas? Queria tanto receber notícias suas, aguardo com esperança uma resposta. Quando você chega? Quando podemos contar com você aqui? Sinto que a distância deixou você frio e despreocupado. Saiba que muitos, assim como eu, aguardam o momento de seu pronunciamento. Será que você ainda lembra de mim? Será que existe alguma possibilidade de te encontrar ainda este ano? Por que você é tão inconstante? Não vê que aqui tem um coração que angustiado espera notícias suas?

É muito conveniente para você sumir assim e só aparecer quando quer. Pensa que estarei sempre te esperando? Pensa que é insubstituível? Pensa que não tenho outras opções? Até onde você pensa que estou disposta a ir? Você é um Godot, um traidor, um mal amado inseguro que não consegue ser responsável com quem te ama. Insensato, mostra tua cara! Quem te prende? Quem te impede? Alguém ou algo está impossibilitando você de dar notícias? Notícias, só peço isso… Mas você é incapaz de cumprir suas promessas e compromissos. Estou farta! Chega de bancar a boazinha! Vou mudar de lado!  Vou arrancá-lo das minhas prioridades. Inútil! Oportunista! Ninguém te quer tanto quanto eu. Abre seus olhos e seu coração, ao seu lado tem pessoas que só querem te usar em benefício próprio. Eu não. Eu quero poder te dar proteção, compreensão, te incentivar, alimentar suas utopias… Parece que você foge de mim, que atravessa a calçada, que muda de roupa, que segue por outras pontes só para não me encontrar.Pode me explicar a razão do seu sumiço? Sabe qual será o resultado disso tudo?

Seu sedutor, não quero mais você! Seu Narciso, só quer me usar, mas não serei apenas um número pra você. Me trate bem, me trate com honra, tenha palavra, cumpra seus compromissos, assuma suas responsabilidades. Por que você me deixa sem notícias, acaso já tem outra? Outra pessoa ou coisa te despertou o interesse e você foi explorar “outras áreas”? É isso? Onde você está de fato, será só um devaneio meu? Você realmente existe ou é uma suposição? As vezes acredito que você é um fantasma que me assombra a vida, me desestabiliza e me renega. Seu imoral, aproveitador, sem palavras, até quando sonharei com você? Tire suas garras e dentes de leão de cima de mim, me liberte! Me liberte! Eu sempre te dou mais uma chance, eu sei. Acredito sempre que você mudou, que está disposto a ser verdadeiro, que será mais companheiro e menos fugidio. Eu e este meu coração ingênuo, crente, carente, a te esperar…

Espero não causar má impressão com esta carta, espero que você a leia. Eu sou por vezes dramática, você bem sabe, mas a solidão me consome. Dê uma chance para nós, sei que podemos fazer tudo ficar bem melhor. Não prorrogue uma vez mais nossa felicidade.

Com a certeza de que tudo será maior e melhor do que é, me despeço.

Até!

Vivi Bezerra

Anúncios

Sobre vivibezerra

Alta. Cachos. Andar saltitante. Interessada num monte de vida.

Uma resposta para “Funcultura: carta de desespero

  1. guerreirosdopasso

    sduarsdo Araújoo!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: